quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Quando os adultos são mais cruéis que as crianças

Sempre ouvi dizer que as crianças são cruéis umas para as outras, não medem as palavras e a sua franqueza trás sempre um dedo que toca na ferida, mas garanto que já assisti muitos adultos serem piores que muitos colegas de escola!
Costumo frequentar um espaço, onde vão muitos pais e os respectivos filhos, e há alturas que só me apetece fugir!
Crianças de 4/5 anos sujeitas a uma tamanha falta de sensibilidade vinda dos pais, os mesmos pais que eles tanto amam!

Aqui à dias estavam duas mães a conversar e uma delas tem gémeos...e a outra dizia...
" dois filhos deve ser terrível" ao que a outra respondeu " é horrível!"

E eu pergunto-me...Mas o que pensam os miúdos ao ouvir a mãe dizer que ter dois filhos é horrível?!
Não bastasse isso, ainda acrescentou..." eu sou uma bruta, que não sei fazer um filho de cada vez", o filho ao ouvir isto diz " mãe se só tivesses um, seria eu" e a mãe ainda respondeu " achas? olha não sei, eu não queria meninos, o teu pai é que queria, por isso é que ele gosta de ti!"

O que faz isto a uma criança de 4 anos! Por amor de Deus! Se isto não é crueldade para aquelas cabecinhas é o quê?!

A minha filha muitas vezes pergunta-me baixinho " mãe porque é que as pessoas estão sempre a gritar com os filhos?"

Desengane-se quem pensa que os miúdos não percebem, não reparam ou não ligam ao que lhes é dito...que não os magoa ouvir a mãe dizer que não queria um/a  filho/a, será que estas pessoas não se colocam no lugar dos miúdos...ter a pessoa que mais amam dizerem -lhe que não são ou não foram desejados?! 

A meu ver as crianças merecem respeito como indivíduos, e numa fase em que eles desenvolvem as suas personalidades, e ultrapassam as suas limitações enquanto crianças, ter alguém ao lado deles que em vez de estimular a sua auto-estima a destroem...que adultos serão eles?!

Eu não estudei psicologia, nem entendo a mente humana...mas uma coisa eu sei....estas pessoas não nasceram para ser educadores...
e ainda que critiquem tanto o mimo, que dado em excesso é prejudicial, eu acho a falta dele é bem pior...e o que me é dado ver..só torna as crianças revoltadas e desobedientes...e quem sabe...serão as tais crianças cruéis...que afinal de contas...só imitam o que viram em casa.





4 comentários:

Nany disse...

Dói, é só o que posso dizer.
Imagino a cen, por um lado és um horror, detesto-te, dás-me imenso trabalho. Por outro, como és assim se sou uma mãe tão boa, extremosa, dedicada, carinhosa e doce?
36 anos é a minha idade e admito grito com os meus miudos quando se portam mal. Vão para o castigo, não vêm tv.
Mas eles não são maus porque se portam mal, não são feios porque se portam mal, não são horríveis porque o dia me correu mal, dormi mal ou alguém me chateou. São dois seres fruto do meu ser e se sou uma mãe a quem podem apontar o dedo porque não sei tudo e erro, também sou filha e digo o seguinte: dói e muito, e não se esquece, nunca.
36 anos tenho eu e esse tipo de comentários, de "dizeres" caiem tanto na rotina que já é só isso que esperamos ouvir da boca dos nossos pais. Falo por experiência muito própria.
Nany

M. gato dos botões disse...

Concordo com o teu post e com o comentário da Nany.
Quando eles se portam mal chateio-me... ficam de castigo... e essas coisas todas, mas quando eu grito e às vezes sem eles terem culpa (sono, cansaço, etc... não somos de ferro) eu peço desculpa e explico que os adultos também se portam mal... e também lhes explico muitas vezes que portar mal faz parte... todos nos portamos mal às vezes e que serve para aprendermos para da próxima vez fazermos melhor. Sabes o resultado? Levo nas orelhas também lol Ando sempre a dizer para arrumarem o quarto e hoje ouvi eu por parte do meu pequeno (3 anos)
"Oh mãe olha para a tua secretária, toda desarrumada, estás te a portar mal" LOL
E o que me resta? reconhecer lol
E sim esses comentários junto das crianças são totalmente desnecessários.

Olga Moura Alves disse...

Crescer é difícil...fazer crescer é também uma tarefa árdua,todos nos falhamos, eu também falho...a questão é que há falhas maiores que outras...e muitas roçam no grave!!e tratar os filhos assim...não sei faz-me muita confusão e deixa-me triste!

Paula Nogueira Guerra disse...

Há pessoas que não deveriam ter nascido para serem pais. Muitos até o são por pressão familiar, porque casaram e fica bem senão... "deves ser gay".
E quem paga depois por isso são as crianças.
Não és psicóloga mas se calhar tinha sido um bom curso para ti pois analisaste tudo excelentemente bem :)

Um beijo doce xxx